O que evitar enquanto usar o aparelho?

Alimentos que podem danificar o aparelho basicamente são: balas, pirulitos, torresmos, pipocas, nozes, biscoitos duros, amendoim, etc.

Mas no dia a dia da clínica os vilões entre os adolescentes são as balas Halls, biscoitos recheados, e a granola torrada do açaí! Entre os “fitness” barrinha de cereal.

Entre os adultos os churrascos de fim de semana (não picam a carne), o osso da costela e do frango são os vilões.

Como comer isso e não quebrar?

Bom, a granola pode ser substituída por paçoca no açaí. A barra de cereal pode partir com a mão (não morder), esperar um pouco na boca para a saliva umedecer e amolecer e depois sim, pode mastigar. A mesma técnica vale para biscoitos recheados e mais torrados.

A pipoca pode ser a de microondas.  Segure a pipoca, come a parte branca que estourou e o caroço, descarte. Porque o caroço é o que quebra o aparelho.

E para os fãs do churrasco nos fins de semana, pique a carne em pedaços bem pequenos e esqueçam o osso da costela!

Esperamos ter ajudado!

Como lidar com o medo?

Converse com o profissional antes de começar a consulta e fale sobre seu medo

Quando você coloca para o profissional que tem medo de dentista, ele vai automaticamente, explicar com mais calma o que fará nesse primeiro contato. Provavelmente, essa consulta será mais um bate- papo do que executar um procedimento em si. Com certeza, você se sentirá mais segura.

Se achar melhor, peça para que ele explique os procedimentos antes de começá-los.

Para quem tem medo, qualquer movimento do profissional assusta! Então peça para ele explicar passo a passo o que fará.

Pode mostrar o procedimento através da internet, ou câmeras intraorais ou até mesmo um espelhinho de mão, direcionando onde você tem cáries, gengiva inflamada ou outro problema.

Combine sinais para o caso de ter dor ou medo

Por exemplo, se você levantar a mão, o profissional pára o procedimento. Isso funciona como um código de confiança entre você (paciente) e o profissional.

Tem receio do barulho dos aparelhos?

Leve um rádio ou iPod com músicas relaxantes. Tenho pacientes que usam o celular com fones para ouvir músicas.

Como profissional de saúde, gostaria de explicar que medo todos temos;  é natural, e faz parte da nossa preservação.

Também digo que a mente nos sabota, nos limita e cria alguns paradigmas que acreditamos ser verdade.

Paradigma significa um modelo ou padrão a ser seguido.

Esses paradigmas são barreiras que construímos dentro de nós. Crenças que escutamos desde criança de nossos pais ou avós e assumimos como nossas.

Isso foi nos programando de tal forma, que está no piloto automático e nem percebemos.

Exemplo: “senta aí, senão vou mandar a dentista dar uma injeção”. Ou: “fica quieto, senão ela vai passar o motorzinho”.

O que nossa mente faz com essas informações?

Cria um cenário de filme de terror! E aí seguimos esse padrão: dentista dá injeção e coloca aquele motorzinho que nos faz desmaiar de dor!

Porém, a boa notícia é que podemos desprogramar essas crenças limitantes.

 Para eliminar uma crença devemos:

  1. Identificá-la: ”meu sonho é ter um sorriso perfeito, mas aparelho dói muito”. Essa frase é um pensamento que nos limita ou é uma verdade absoluta?
  1. Desafiá-la com questionamentos reais: “Esse pensamento é verdadeiro?” “onde aprendi isso?” “o que ganho pensando assim?” “o que perco pensando assim?”
  1. Substituí-la por uma crença verdadeira, real e positiva: ”meu sonho é ter um sorriso perfeito, então, colocarei aparelho”.

 Claro que não é tão simples assim, mas acreditamos que todas as vezes que tivermos um pensamento que nos limite, que nos deixe inseguros em algum momento, que nos deixe com medo de alcançarmos um sonho, vamos Identificar, Desafiar com questionamentos reais, e Substituir por algo positivo.

Espero ter ajudado.